Casa Morrone

CONSTRUÍDO

BRASÍLIA-DF, 2018

A casa foi construída no Lago Sul em Brasília, um bairro residencial fora do Plano Piloto. Um pequizeiro pré-existente (espécie de árvore do cerrado que é protegida por lei) está localizado na porção frontal do lote. Em razão das grandes construções vizinhas propusemos priorizar os visuais para o interior do lote, alternando espaços construídos e espaços vazios que permitissem a entrada de luz natural para o interior.

A primeira operação foi simular o volume que acomodasse a área total permitida para o local. A partir desse ponto subtraímos partes do volume e criamos cinco vazios principais.

O primeiro vazio incorpora o pequizeiro existente a um jardim interno para um dos quartos no térreo. O segundo vazio, no centro da construção, funciona como um poço de luz natural que interliga visualmente a sala de estar do térreo ao corredor dos quartos no andar superior. O terceiro vazio é uma extensão de um dos banheiros. O quarto vazio define a entrada principal e o quinto vazio possibilita o encaixe da piscina em uma das esquinas do volume principal, criando uma área parcialmente sombreada para os dias quentes.

Autores: Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho, Matheus Seco
Colaboração: Victor Machado, Marina Lira, Tatiana Lopes
Superfície Construída: 500m2
Projeto: 2014
Construção: 2015-2018
Projeto de Estrutura: André Torres
Instalações: Victor Silvério
Paisagismo: Mariana Siqueira e Jardins do Cerrado
Obra: Memória Engenharia
Fotos: Haruo Mikami

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Casa Morrone

CONSTRUÍDO

BRASÍLIA-DF, 2018

A casa foi construída no Lago Sul em Brasília, um bairro residencial fora do Plano Piloto. Um pequizeiro pré-existente (espécie de árvore do cerrado que é protegida por lei) está localizado na porção frontal do lote. Em razão das grandes construções vizinhas propusemos priorizar os visuais para o interior do lote, alternando espaços construídos e espaços vazios que permitissem a entrada de luz natural para o interior.

A primeira operação foi simular o volume que acomodasse a área total permitida para o local. A partir desse ponto subtraímos partes do volume e criamos cinco vazios principais.

O primeiro vazio incorpora o pequizeiro existente a um jardim interno para um dos quartos no térreo. O segundo vazio, no centro da construção, funciona como um poço de luz natural que interliga visualmente a sala de estar do térreo ao corredor dos quartos no andar superior. O terceiro vazio é uma extensão de um dos banheiros. O quarto vazio define a entrada principal e o quinto vazio possibilita o encaixe da piscina em uma das esquinas do volume principal, criando uma área parcialmente sombreada para os dias quentes.

Autores: Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho, Matheus Seco
Colaboração: Victor Machado, Marina Lira, Tatiana Lopes
Superfície Construída: 500m2
Projeto: 2014
Construção: 2015-2018
Projeto de Estrutura: André Torres
Instalações: Victor Silvério
Paisagismo: Mariana Siqueira e Jardins do Cerrado
Obra: Memória Engenharia
Fotos: Haruo Mikami

Seta