Mercado Mané – novo!

CONSTRUÍDO

Brasília-DF, 2022

Localizado em Brasília, entre o Estádio Nacional Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson, no Eixo Monumental, o projeto do Mercado Mané reaproveitou a estrutura de cobertura de uma edificação existente. O empreendimento funcionará de forma temporária até a instalação definitiva do futuro Complexo Esportivo de Brasília naquele local, prevista para 2026. Até lá, o objetivo foi reaproveitar parte da infraestrutura existente no local e transformá-la para abrigar um novo uso: um mercado voltado para a área de gastronomia. A edificação existente foi utilizada durante os Jogos Pan-Americanos de 2007. Porém, após o evento, seu espaço teve apenas usos esporádicos e se encontrava vazio e sem uso.

A ideia foi requalificar o espaço com a adoção de soluções simples de intervenção, em razão do curto prazo de obra: 3 meses. Retiramos as paredes que circundavam a antiga construção com o intuito de criar uma “grande varanda” sob a qual distribuímos todas as funções do novo programa em áreas semiabertas que podem fazer uso pleno da ventilação e iluminação naturais. Revitalizamos a cobertura e fizemos pequenas alterações nela, tais como a pintura do sistema de coleta de águas pluviais e o sistema de iluminação com lâmpadas em cada um dos “nós” da estrutura, marcando sua modulação. Criamos uma laje de piso de concreto inteiramente nova e ligeiramente elevada do chão de modo a redefinir e ampliar os limites do mercado e marcar seus acessos principais sem a necessidade de cercas ou outras barreiras visuais. Ao redor do piso criamos áreas ajardinadas perimetrais que também adentram o espaço interno e delimitam ambientes, trazendo o paisagismo para dentro da grande cobertura.

O novo programa foi distribuído em pequenas edificações e peças de mobiliário fixo que foram construídas sob a cobertura. Para isso, utilizamos apenas dois materiais diferentes: o concreto – na forma de blocos estruturais aparentes para as lojas e concreto aparente para as jardineiras e o mobiliário fixo – e a estrutura metálica pintada de cinza chumbo que foi usada para criar um “segundo teto” que é vazado e mais baixo. Esta estrutura, executada em um “plano vazado” conformado por módulos de 100x100cm, serve para apoiar a iluminação auxiliar e partes complementares do programa de cada loja sem impedir a visão livre para a estrutura espacial da cobertura existente.

Os “módulos” do programa foram distribuídos de modo a definir um fluxo sinuoso dos usuários, entremeando circulação e espaço de mesas. Padronizamos os espaços comerciais com o bloco de concreto, sem a necessidade de revestimentos ou pinturas, à exceção das áreas de cozinha e preparo de comida, conforme exigências da vigilância sanitária. A acessibilidade é total, com rampas de acesso, balcões rebaixados e estrutura de sanitários e mesas reservadas.

O complexo conta ainda com sistema de energia fotovoltaica que foi pensado como uma fonte adicional para suprir o alto consumo de energia na operação dos restaurantes. Sendo assim, o Mané conta com um sistema híbrido, parcialmente alimentado pela rede local e parcialmente alimentado por energia fotovoltaica.

Ao lado da edificação foi criada uma horta urbana, a qual recebe compostagem a partir dos materiais gerados no mercado. Assim, será possível ajudar a criar consciência em todo o “ecossistema” do funcionamento do mercado, contando também com o cultivo de alimentos saudáveis que serão direcionados para doação. Essa atividade integra ainda a ação Lixo Zero, que tem como objetivo diminuir o impacto ambiental com a redução de resíduos em pelo menos 90%.

O mercado também oferece uma série de atrações, tendo como foco a responsabilidade social e a inclusão, serão realizadas no espaço aulas de cursos profissionalizantes da área de gastronomia do SENAI para pessoas em situação de vulnerabilidade social e arrecadação de alimentos.

Autores:
Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco
Coordenação: Bárbara Neumann e Caio Nascimento
Equipe: Luis Alcântara
Superfície Construída: 4000m2
Projeto: 2021
Construção: 2021-2022
Obra: Rotacon Construções
Fotos: Joana França

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

Mercado Mané

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

 

Mercado Mané

Mercado Mané

Mercado Mané – novo!

CONSTRUÍDO

Brasília-DF, 2022

Localizado em Brasília, entre o Estádio Nacional Mané Garrincha e o Ginásio Nilson Nelson, no Eixo Monumental, o projeto do Mercado Mané reaproveitou a estrutura de cobertura de uma edificação existente. O empreendimento funcionará de forma temporária até a instalação definitiva do futuro Complexo Esportivo de Brasília naquele local, prevista para 2026. Até lá, o objetivo foi reaproveitar parte da infraestrutura existente no local e transformá-la para abrigar um novo uso: um mercado voltado para a área de gastronomia. A edificação existente foi utilizada durante os Jogos Pan-Americanos de 2007. Porém, após o evento, seu espaço teve apenas usos esporádicos e se encontrava vazio e sem uso.

A ideia foi requalificar o espaço com a adoção de soluções simples de intervenção, em razão do curto prazo de obra: 3 meses. Retiramos as paredes que circundavam a antiga construção com o intuito de criar uma “grande varanda” sob a qual distribuímos todas as funções do novo programa em áreas semiabertas que podem fazer uso pleno da ventilação e iluminação naturais. Revitalizamos a cobertura e fizemos pequenas alterações nela, tais como a pintura do sistema de coleta de águas pluviais e o sistema de iluminação com lâmpadas em cada um dos “nós” da estrutura, marcando sua modulação. Criamos uma laje de piso de concreto inteiramente nova e ligeiramente elevada do chão de modo a redefinir e ampliar os limites do mercado e marcar seus acessos principais sem a necessidade de cercas ou outras barreiras visuais. Ao redor do piso criamos áreas ajardinadas perimetrais que também adentram o espaço interno e delimitam ambientes, trazendo o paisagismo para dentro da grande cobertura.

O novo programa foi distribuído em pequenas edificações e peças de mobiliário fixo que foram construídas sob a cobertura. Para isso, utilizamos apenas dois materiais diferentes: o concreto – na forma de blocos estruturais aparentes para as lojas e concreto aparente para as jardineiras e o mobiliário fixo – e a estrutura metálica pintada de cinza chumbo que foi usada para criar um “segundo teto” que é vazado e mais baixo. Esta estrutura, executada em um “plano vazado” conformado por módulos de 100x100cm, serve para apoiar a iluminação auxiliar e partes complementares do programa de cada loja sem impedir a visão livre para a estrutura espacial da cobertura existente.

Os “módulos” do programa foram distribuídos de modo a definir um fluxo sinuoso dos usuários, entremeando circulação e espaço de mesas. Padronizamos os espaços comerciais com o bloco de concreto, sem a necessidade de revestimentos ou pinturas, à exceção das áreas de cozinha e preparo de comida, conforme exigências da vigilância sanitária. A acessibilidade é total, com rampas de acesso, balcões rebaixados e estrutura de sanitários e mesas reservadas.

O complexo conta ainda com sistema de energia fotovoltaica que foi pensado como uma fonte adicional para suprir o alto consumo de energia na operação dos restaurantes. Sendo assim, o Mané conta com um sistema híbrido, parcialmente alimentado pela rede local e parcialmente alimentado por energia fotovoltaica.

Ao lado da edificação foi criada uma horta urbana, a qual recebe compostagem a partir dos materiais gerados no mercado. Assim, será possível ajudar a criar consciência em todo o “ecossistema” do funcionamento do mercado, contando também com o cultivo de alimentos saudáveis que serão direcionados para doação. Essa atividade integra ainda a ação Lixo Zero, que tem como objetivo diminuir o impacto ambiental com a redução de resíduos em pelo menos 90%.

O mercado também oferece uma série de atrações, tendo como foco a responsabilidade social e a inclusão, serão realizadas no espaço aulas de cursos profissionalizantes da área de gastronomia do SENAI para pessoas em situação de vulnerabilidade social e arrecadação de alimentos.

Autores:
Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco
Coordenação: Bárbara Neumann e Caio Nascimento
Equipe: Luis Alcântara
Superfície Construída: 4000m2
Projeto: 2021
Construção: 2021-2022
Obra: Rotacon Construções
Fotos: Joana França

Seta