Paralelo Concreto

CONSTRUÍDO

Brasília-DF, 2015

A vitrine frontal da loja Líder Interiores em Brasília foi uma instalação temporária que permaneceu no local por um ano. Ela foi criada para apresentar a primeira coleção de móveis dos designers Nada Se Leva e Lattoog para a marca. A posição da loja na galeria, uma esquina com pouca visibilidade em um centro comercial, direcionou a ideia de criar uma topografia artificial que pudesse elevar os móveis até uma altura visível à distância. O relevo modificado resultante permite a caminhada sobre degraus de diferentes tamanhos e alturas.  A gradativa diminuição do pé-direito à medida que que a geometria avança até o canto direito no fundo da vitrine tem a intenção de ressaltar as peças à mostra no seu ponto menos visível.

A geometria e desnível dos degraus foram ressaltadas através de uma pequena intervenção antes dos seis meses finais da exposição: todas as faces verticais dos degraus e parede de fundo foram pintados de preto enquanto todos os materiais dos novos móveis que substituíram as peças anteriores possuíam a mesma cor.

Autores: Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho, Matheus Seco
Colaboração: Guilherme Mahana
Mobiliário: Nada Se Leva e Lattoog
Fotos: Haruo Mikami e Jomar Bragança

 

 

 

 

 

 

 

Foto Vitrine Líder 2015

 

 

Paralelo Concreto

CONSTRUÍDO

Brasília-DF, 2015

A vitrine frontal da loja Líder Interiores em Brasília foi uma instalação temporária que permaneceu no local por um ano. Ela foi criada para apresentar a primeira coleção de móveis dos designers Nada Se Leva e Lattoog para a marca. A posição da loja na galeria, uma esquina com pouca visibilidade em um centro comercial, direcionou a ideia de criar uma topografia artificial que pudesse elevar os móveis até uma altura visível à distância. O relevo modificado resultante permite a caminhada sobre degraus de diferentes tamanhos e alturas.  A gradativa diminuição do pé-direito à medida que que a geometria avança até o canto direito no fundo da vitrine tem a intenção de ressaltar as peças à mostra no seu ponto menos visível.

A geometria e desnível dos degraus foram ressaltadas através de uma pequena intervenção antes dos seis meses finais da exposição: todas as faces verticais dos degraus e parede de fundo foram pintados de preto enquanto todos os materiais dos novos móveis que substituíram as peças anteriores possuíam a mesma cor.

Autores: Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho, Matheus Seco
Colaboração: Guilherme Mahana
Mobiliário: Nada Se Leva e Lattoog
Fotos: Haruo Mikami e Jomar Bragança

 

Seta